sábado, 11 de junho de 2011

O ÉPICO DE BAAL - SEGUNDA PARTE

* Se você ainda não leu a Primeira Parte do Épico de Baal,  clique aqui.

O ÉPICO DE BAAL - SEGUNDA PARTE

Pelo Nome repreende, Astarte:
"Deprimente, Ó Aliyan Baal,     
Quanta vergonha, Ó Cavaleiro das Nuvens!
O príncipe Yam era nosso cativo
O juiz dos Rios era nosso cativo. "


E lá se foi Baal,
Completamente envergonhado está Aliyan Baal
O Príncipe Yam está, de fato, morto.
Então, deixem Baal reinar!
 

Baal era agora o rei dos Deuses. Senhor da Serra Saphon. Mas Baal não teve nenhum palácio  como os outros Deuses. Ele fala a Sua palavra para Kothat-u-Khasis:

"Há a morada de El,
O abrigo de seus filhos.
A residência da Senhora Asherah do Mar,
A moradia das noivas de renome.
A morada de Pidray, menina da Luz,
O abrigo de Tallay, menina da chuva,
A morada de Arsay, menina de Yaabdar.
 

Além disso, outra coisa te direi.
Vá!
Suplique por Asherah Senhora do Mar, 
Rogai a Criadora dos Deuses! "
 

O excelentíssimo vai até as profundezas
Nas mãos de Khasis estão as pinças.
Ele derrama prata,
Ele lança o ouro.
Ele derrama prata e milhares de riquezas,
Ele derrama ouro em miríades.
Uma coroa de glória com incrustações de prata,
Adornada com ouro vermelho.
Um trono glorioso,
Um estrado acima de um estrado glorioso,
Que reluz na pureza.
Gloriosos escabelos de recepção,
Lá em cima Ele traz ouro.
Uma mesa gloriosa e farta.
Uma tigela gloriosa, belo trabalho de Kamares,
Definido como o reino de Yam,
Em que há búfalos por miríades.
 

Kothar-u-Kasis vai até Asherah Senhora do Mar, Mãe dos Setenta Deuses. Ele oferece estes dons à ela.

Adorna-a com a cobertura de sua carne.
Ela rasga sua roupa.
No segundo dia
Adorna-a nos dois rios.
Ela estabelece uma panela no fogo
Um navio em cima das brasas.
 

Ela apazigua o touro, Deus de Misericórdia,
Roga ao Criador de Criaturas.
Ao levantar os olhos
Ela vê.
Asherah vê Baal indo,
Sim, em direção à Virgem Anate,
A caminho da progenitora de heróis.
 

Depois veio Aliyan Baal,
E veio a Virgem Anate,
Rogaram à Senhora Asherah do mar.
Sim, suplicaram a Criadora dos Deuses.
E a Senhora Asherah do Mar, respondeu:
"Como podeis vós suplicar à Senhora Asherah do Mar,
Sim, suplicar à Criadora dos Deuses?
Tendes suplicado o Touro, o Deus de Misericórdia,
Ou suplicado ao Criador de Criaturas?
 

E a Virgem Anate respondeu:
"Nós fazemos suplico à Asherah Senhora do mar.
Suplicamos a Criadora dos Deuses.
Os Deuses comem e bebem,
E há aqueles que sugam o seio demasiadamente.
Com uma faca afiada
Uma fatia de animal cevado.
Bebem vinho em uma taça,
A partir de uma taça de ouro, o sangue das vinhas. "
 

Asherah do Mar declara:
"Selem o jumento,
amarrem o burro!
Coloque um chicote de fios de prata,
Adornos de ouro.
Prepare a sela do meu jumento!
 

Ouçam Qadish-u-Amrar.
Ele sela um burro
Os engates de um burro.
Coloque em um chicote de fios de prata,
Adornos de ouro.
Prepara a sela do meu jumento!
Qadish-u-Amrar abraça;
Ele define Asherah na parte de trás do jumento,
Na parte traseira do bonito burro.
Qadish começa a iluminar o caminho,
Amrar como uma estrela.
Em frente fica a virgem Anate,
E afasta Baal para as alturas de Saphon.
 

Então Ela vira o rosto para El,
Nas fontes de Dois Rios,
No meio dos fluxos das duas profundezas.
Ela entra na morada de El,
E chega ao domicílio do Rei, o Padre Suném.
Aos pés de El Ela curva-se e prostra-se,
Ela prostra-se em honra.
 

Assim que El a vê,
Ele abre um sorriso e ri.
Ele coloca seus pés sobre o estrado,
E movimenta Seus dedos.
Ele levanta sua voz
E grita:
"Por que a Senhora do Mar Asherah vêm?
Por que veio a Criadora dos Deuses?
Tu estás com fome?
Então, tem um bocado!
Ou és sede?
Então, tome uma bebida!
Coma!
Ou beba!
Coma o pão das mesas!
Beba vinho das taças!
Em uma taça de ouro, o sangue da vinha!
Se o amor de El move Ti,
Sim, o afeto do Touro desperta Ti! "
 

E Asherah Senhora do Mar responde:
"Tua palavra, El, é sábia;
Tu és eternamente sábio;
Vida abundante é a tua palavra.
O nosso rei é Aliyan Baal,
Fora juiz, e ninguém está acima dele.
Ambos enchemos Seu cálice;
Ambos enchemos a Sua taça! "
 

Altíssimo El-Touro, seu pai, brada,
El Rei, que trouxe à existência;
É uma súplica de Asherah e seus filhos,
A Deusa e a banda de sua prole:
"Nenhuma casa de Baal é como a dos Deuses.
Não há Corte como os filhos de Asherah:
A morada de El,
O abrigo de seus filhos.
A residência de Asherah Senhora do Mar ,
A moradia das noivas de renome.
A morada de Pidray, menina da luz.
O abrigo de Tallay, menina da chuva.
A morada de Arsay, menina de Yaabdar ".
 

E o Deus da Misericórdia, respondeu:
"Estou a agir como um lacaio de Asherah?
Devo agir como detentor de uma espátula?
Se os escravos de Asherah fizerem os tijolos
A casa para Baal será construída como a dos Deuses.
Sim, uma corte como a dos filhos de Asherah ".
 

E Asherah Senhora do Mar, respondeu:
"Tu és grande, ó El,
Tu és verdadeiramente sábio!
A Tua barba cinza em verdade te instruiu!
Aqui estão peitorais de ouro para o teu peito.
 

Eis, também é o momento de Sua chuva.
Baal estabelece as estações
E dá a Sua voz das nuvens.
Ele lança relâmpagos na Terra.
Como uma casa de cedro deixe-o concluír,
Ou uma casa de tijolos deixe-o erguer!
Que seja contado ao Aliyan Baal:
"Os montes te trarão muita prata.
As colinas, os lugares de ouro;
As minas trarão pedras preciosas para Ti,
E levantarás uma casa de ouro e prata.
Uma casa de pedras preciosas! "
 

A Virgem Anate alegra-se.
Ela dá um salto
E deixa a terra.
Então Ela vira o rosto para o Senhor dos picos de Saphon
Por mil hectares,
Sim, os milhares de hectares.
A virgem Anate sorri.
Ela levanta a voz
E grita:
"Informem, Baal!
Eu trago notícias tuas!
A casa será construída para ti igual a de teus irmãos,
Até mesmo uma corte igual a da tua família!
Os montes te trarão muita prata.
As colinas, os lugares de ouro;
As minas trarão pedras preciosas para Ti,
E levantarás uma casa de ouro e prata.
Uma casa de pedras preciosas! "
 

Aliyan Baal alegra-se.
Os montes lhe trarão muita prata,
As minas lhe trarão pedras preciosas.
 

Kothar-u-Khasis é enviado.
Assim que Kothar-u-Khasis chegou,
Ele ofereceu um boi em sua frente.
Um animal cevado diretamente diante dele.
Uma cadeira está colocada,
E Ele está sentado
À direita de Aliyan Baal,
Até que tenham comido
E bebido.
 

E Aliyan Baal declara:
"Depressa, vamos construir a casa.
Depressa, vamos erguer um palácio!
Despacha-te, faz com que a casa seja construída.
Depressa, vamos erguer um palácio
No meio das alturas de Saphon!
A mil hectares, a casa será constituída,
Uma miríade de hectares, um palácio! "
 

E Kothar-u-Khasis declara:
"Ouve, ó Aliyan Baal!
Perceba, Ó Cavaleiro das Nuvens!
Vou certamente colocar uma janela dentro da casa,
Uma janela no meio do palácio! "
 

E Aliyan Baal responde:
"Não coloque uma janela na casa,
Uma janela no meio do palácio!
Não deixe que Pidray, menina da Luz,
Nem Tallay, menina da chuva,
Sejam vistas pelo amado El de Yam Nahar! "
O Senhor insulta e cospe.
 

E Kothar-u-Khasis responde:
"Tu queres voltar, Baal, a minha palavra."
 

De Cedros Sua casa será construída,
De tijolos o seu palácio será erguido.
Ele vai a Lebabob e terá árvores,
À Síria e o lugar dos cedros.
O Líbano e as árvores,
Síria e os cedros.
O fogo será estabelecido na casa,
Chama para o palácio.
Eis que um dia e outro,
O fogo queima dentro da casa,
A chama dentro do palácio.
Um quinto, um sexto dia,
O fogo queima dentro da casa,
A chama no meio do palácio.
Eis que, no sétimo dia,
O fogo se afasta da casa,
A chama do palácio.
A Prata se transforma em blocos,
O ouro é transformado em tijolos.
 

Aliyan Baal alegra-se.
"Minha casa com Prata eu tenho construido.
Meu palácio com ouro eu tenho feito. "



Baal continuará a regozijar-se? Não percam a TERCEIRA PARTE DO ÉPICO DE BAAL! 

Um comentário: